enancib2021@ibict.br

Programa do GT 11

█ GT 11 – Informação & Saúde

Ementa: Estudos das teorias, métodos, estruturas e processos informacionais em diferentes contextos da saúde, considerada em sua abrangência e complexidade. Impacto da informação, tecnologias, e inovação em saúde. Informação nas organizações de saúde. Informação, saúde e sociedade. Políticas de informação em saúde. Formação e capacitação em informação em saúde.

: Coordenador: Prof. Dr. Marcelo Peixoto Bax – UFMG
: Coordenadora Adjunta: Profa. Dra. Francisca Rosaline Leite Mota – UFAL

 

PROGRAMA COMPLETO DO GT 11 EM PDF

Dia 26.10.2021 – Terça-feira – Noite – 18-20h

Sessão: 01 – Registros Eletrônicos em Saúde

Coordenador da sessão: Marcello Peixoto Bax; Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Relator da sessão: Francisca Rosaline Leite Mota; Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Comunicações

Comunicação 1: A INFORMAÇÃO SENSÍVEL NO SERVIÇO DE PRONTUÁRIO DO PACIENTE

Autoria(s): Évelin Costa dos Santos; Margarete Farias de Moraes; Francisco José Aragão Pedroza Cunha.

Resumo: Esta comunicação apresenta resultados de uma pesquisa que teve como objetivo verificar a implementação de normas e procedimentos para a proteção da informação sensível em saúde no Serviço de Prontuário do Paciente de Instituições de Saúde universitárias. A pesquisa é quanti-qualitativa; bibliográfica, documental, de levantamento e de campo; aplicada; exploratória e descritiva quanto ao objetivo. Utilizou-se de questionário e entrevista in loco aos funcionários e aos responsáveis pelo Serviço de Prontuário do Paciente, respectivamente, em três Instituições de Saúde. As técnicas aplicadas foram a Estatística Descritiva e a Análise de Conteúdo por meio da categoria intitulada ‘proteção da informação sensível’ e de dois núcleos de sentido: ‘normas e procedimentos para proteção da informação sensível em saúde’; e, ‘atuação da Comissão de Revisão de Prontuários’. Os resultados empíricos apontam que as normas e os procedimentos internos prevalecem fundamentados na rotina dos Serviços de Prontuário do Paciente e carecem das legislações voltadas aos arquivos e aos dados em saúde. Infere-se que a proteção da informação sensível em saúde nas instituições da amostra é dependente da gestão dos Serviços de Prontuário do Paciente para assegurar a confidencialidade e o sigilo dos dados e informações registrados no Prontuário do Paciente. Concluiu-se que há necessidade da valorização da gestão de documentos nos Serviços de Prontuário do Paciente das Instituições e recomenda-se a reestruturação deste setor por meio de estratégias de qualificação dos recursos humanos para o tratamento dos registros das informações sensíveis do paciente.

Palavras-chave: Dados sensíveis. Informação em saúde. Prontuário do Paciente. Confidencialidade da informação.

Comunicação 2: OS REGISTROS NOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DA VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA: UM ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Autoria(s): Louise Anunciação Fonseca de Oliveira do Amaral; Francisco José Aragão Pedroza Cunha; Daniel Flores.

Resumo: Este artigo busca revelar os resultados parciais de uma pesquisa de tese doutoral sobre a gestão, preservação e o acesso aos dados e as informações em sistemas de informação em saúde em hospitais federais do Estado do Rio de Janeiro. Ao serem registrados em sistemas de informação, esses dados (e.g. temperatura do paciente, peso, frequência cardíaca, história de admissão) e essas informações (e.g. perfil de doenças de um hospital, taxa de mortalidade institucional, taxa de infecção hospitalar) conformam tipologias documentais em ambientes digitais e analógicos. O intuito é o de identificar as tipologias documentais digitais que alimentam os sistemas de informação da vigilância epidemiológica. Trata-se de um estudo de caso desenvolvido como teste piloto no Hospital Universitário de nº 7 que compõe o campo empírico da pesquisa de tese vinculada a dois grupos de pesquisa. É uma pesquisa com abordagem qualitativa e quantitativa, sendo exploratória e descritiva quanto aos seus objetivos. Os resultados apontam a utilização das tipologias documentais digitais e dos sistemas de informação da vigilância epidemiológica. Contudo, a tipologia documental “prontuário eletrônico do paciente” no Hospital Universitário em questão não é adotada.

Palavras-chave: Dados e informações em saúde. Sistemas de informação em saúde. Hospitais. Banco de dados epidemiológicos. Vigilância epidemiológica.

Comunicação 3: O PRONTUÁRIO ELETRÔNICO DO PACIENTE

Autoria(s): Maria Isabel Fernandes Calheiros; Nelma Camêlo de Araujo

Resumo: A utilização das informações que constituem PEP permeia todo processo da assistência em saúde prestada ao usuário. Assim, esse estudo em andamento visa analisar se as informações registradas no Prontuário Eletrônico do Paciente atendem a necessidade de informação dos profissionais que o utilizam em uma Unidade de Atenção à Saúde da Criança e Adolescente em um Hospital Universitário. A natureza da pesquisa é aplicada com abordagem qualitativa, espera-se como resultado a compreensão da percepção dos profissionais no tocante ao preenchimento das informações do prontuário do paciente.

Palavras-chave: Prontuário do Paciente. Informação em saúde. Equipe multi(inter)profissional.

Dia 27.10.2021 – Quarta-feira – Manhã – 9-10h

Sessão: 02 – Inovação em Saúde

Coordenador da sessão: Nelma Camêlo Araújo; Universidade Federal de Alagoas (UFA)

Relator da sessão: Eliana Bahia; Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Comunicações

Comunicação 1: REA EM BIBLIOTECAS DE CIÊNCIAS DA SAÚDE: USO, GERENCIAMENTO E DISSEMINAÇÃO

Autoria(s): Lyvia Rocha de Jesus Araujo, Dayanne da Silva Prudencio

Resumo: A pesquisa apresenta como as bibliotecas da área da saúde produzem, gerenciam, armazenam e difundem o uso de REAs em suas instituições. Os resultados apontam a existência de dúvidas sobre o formato de distribuição de REA por parte dos bibliotecários e a baixa quantidade de catálogos que os categoriza adequadamente. Conclui que há necessidade de compartilhamento de conhecimentos que auxiliem os bibliotecários no reconhecimento de REA. Recomenda-se a investigação das práticas utilizadas por bibliotecários em seu tratamento, para verificar a eficácia das iniciativas vigentes. Sugere boas práticas para a produção, tratamento, uso e disseminação de REA nas bibliotecas.

Palavras-chave: Recursos Educacionais Abertos. Bibliotecas universitárias. Atuação do bibliotecário.

Comunicação 2: INOVAÇÃO NA GESTÃO DA INFORMAÇÃO PELO DESIGN THINKING NA ÁREA DA SAÚDE

Autoria(s): Jaqueline Marques Luiz; Ana Paula Perfetto Demarchi

Resumo: Esta pesquisa propõe apresentar soluções inovadoras para o processo de gestão da informação em uma farmácia de um hospital público, utilizando a abordagem do design thinking. Nesse sentido, o objetivo é desenvolver soluções inovadoras para resolver problemas que são originados pela dificuldade em conciliar as informações registradas no sistema com o estoque físico. Para tanto, é necessário compreender como é realizado o controle de estoque de medicamentos, quem faz e como faz, além de identificar quem utilizava esse controle e suas necessidades. Para compreender como os indivíduos enxergavam esse processo, foi necessário verificar a ocorrência de acidentes, incidentes e/ou erros ocorridos que pudessem prejudicar o controle de estoque de medicamentos. Com o objetivo de propor soluções inovadoras baseadas nos métodos de design thinking para uma melhor gestão da informação no controle de estoque de medicamentos, visando a facilitá-lo e torná-lo mais efetivo, o procedimento metodológico utilizado foi uma pesquisa exploratória de natureza qualitativa – como delineamento, foi utilizado o estudo de caso. As fontes de evidência foram: entrevista, aberta e fechada, questionário, análise de documentos, observação direta e observação indireta com abordagem do design thinking. A coleta de dados foi realizada envolvendo três servidores que atuam na farmácia hospitalar, no controle de estoque de medicamentos (recebimento, armazenamento e distribuição). Com o resultado da pesquisa, surgiram novas questões que possibilitaram melhor utilização do espaço para receber, armazenar e distribuir os medicamentos, confirmando a importância da abordagem de design thinking para resolução de problemas.

Palavras-chave: Inovação. Gestão da informação. Design Thinking. Ciência da informação. Saúde.

Comunicação 3: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE: TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES EM TEMPOS DE PANDEMIA

Autoria(s): Josilaine Oliveira Cezar, Claudia Maria Cabral Moro Barra

Resumo: Com o objetivo de identificar inovações e aplicações nos sistemas de informação em saúde, bem como salientar os fatores determinantes para adoção de soluções tecnológicas nessa área, utilizamos o método Systematic-Search Flow (SSF), com descritores retirados do MeSH “Medical Informatics Applications”, “Medical Informatics” e “Health Information Systems”, com aplicação de estratégias de busca utilizando operadores booleanos “OR” e “AND”, na base de dados PubMed. Resultou em 16 revisões sistemáticas que permitiu concluir que devido a pandemia causada pela COVID-19, houve um crescimento exponencial em aplicações de telessaúde e o estabelecimento de políticas públicas que apoiam as atividades de telemedicina.

Palavras-chave: Sistema de Informação em Saúde. Informática médica. Informática biomédica em saúde. Tecnologia da Informação.

Dia 27.10.2021 – Quarta-feira – Manhã – 10-12h

Sessão: 03 – Comunicação e Informação em Saúde

Coordenador da sessão: Francisco José Aragão Pedroza Cunha; Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Relator da sessão: Carla Viola; Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Comunicações

Comunicação 1: ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM CÂNCER: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE ARTIGOS NA BASE LATTES E CASOS DE CÂNCER

Autoria(s): José Orete do Nascimento, Fábio Castro Gouveia

Resumo: A reprodução desordenada das células pode acarretar o desenvolvimento de um câncer. Os Registros Hospitalares de Câncer (RHC) são responsáveis pela coleta de dados referentes a casos de câncer e ao envio desses dados para o INCA. O Currículo Lattes é a ferramenta de exposição da produção científica brasileira. Neste estudo foram analisados casos de câncer ocorridos entre os anos 2001 e 2018. Foram, também, selecionados currículos de pesquisadores com artigos na Base Lattes relacionados ao câncer. Ao término desse estudo, foi constatado que entre as dez topografias com maior ocorrência nos casos de câncer, seis estão entre aquelas com maior número de artigos publicados, e que a topografia com maior número de ocorrência entre os casos de câncer, também é aquela com maior número de artigos; que entre as dez morfologias com maior número de casos de casos de câncer, seis estão entre a dez principais morfologias encontradas nos artigos publicados e cadastrados na Base Lattes, e que a principal morfologia encontrada nos casos de câncer, também é a principal estudada nos artigos da Base Lattes.

Palavras-chave: Câncer. Morfologia. Informetria. Bibliometria. scripLattes.

Comunicação 2: O ENGAJAMENTO DE PACIENTES NA REVISÃO POR PARES: A INICIATIVA DO RESEARCH INVOLVEMENT AND ENGAGEMENT.

Autoria(s): Janaynne Carvalho do Amaral; Marcos Gonzalez de Souza; Eloísa Príncipe

Resumo: Discutimos a metodologia do periódico britânico Research Involvement and Engagement para inserir pacientes no seu processo de revisão por pares e colocamos essa iniciativa em diálogo com os temas Ciência Aberta e os modelos conceituais de compreensão pública da ciência. Como metodologia, em primeiro lugar, é feita uma breve apresentação do que é a revisão por pares e o seu papel, acompanhada de uma discussão sobre as práticas da Ciência Aberta, com foco na revisão por pares aberta. Em seguida, são apresentados o objetivo, o escopo do periódico, a política de revisão por pares e as suas diretrizes para pareceristas. Como resultado, observamos que as diretrizes para pareceristas, principal ferramenta para inclusão de pacientes na revisão por pares, contempla o funcionamento deste processo dentro do periódico, aspectos a serem considerados durante a revisão de um manuscrito e links de sites com treinamento para pareceristas. Valorizando as experiências de mundo e a especialidade de cada paciente, colocando-o também no papel de editor, a iniciativa da revista dialoga com os modelos contextuais, de expertise leiga e de engajamento público de compreensão pública da ciência.

Palavras-chave: Divulgação científica. Ciência Aberta. Revisão por pares aberta. Periódico.

Comunicação 3: ANÁLISE DO ATUAL CENÁRIO DA PESQUISA SOBRE A HEALTH LITERACY E DESINFORMAÇÃO SOBRE COVID-19: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Autoria(s): Taís Basto do Valle; Lidiane dos Santos Carvalho

Resumo: Este trabalho teve o objetivo de analisar estudos que compõem o atual cenário da pesquisa sobre a Health Literacy e desinformação sobre Covid-19 no campo da Ciência da Informação, conforme apresentado na literatura científica. Trata-se de investigação bibliográfica em que as bases de dados Web Of Science, Scopus, Scielo, Biblioteca Virtual em Saúde e PubMed foram utilizadas para coleta de dados. Após criteriosa avaliação, 12 artigos foram selecionados para comporem o estudo.

Palavras-chave: Alfabetização em Saúde. Informação e Saúde. Desinformação.

Comunicação 4: ESTRESSE DIGITAL: MAPEAMENTO DE EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS, INFORMACIONAIS E TECNOLÓGICAS.

Autoria(s): Tanise Dantas Bezerra; Tamela Costa; Henry Poncio Cruz de Oliveira

Resumo: No contexto da Sociedade do Cansaço, o estresse digital pode ser definido como resultado do uso intenso ou constante das Tecnologias de Informação e Comunicação devido ao acesso à imensurável e diversificada quantidade de conteúdos informacionais. Nesse sentido, torna-se relevante a discussão inerente ao estresse digital frente aos elevados níveis de consumo informacional e tecnológico. Este estudo teve como objetivo identificar e mapear as evidências científicas disponíveis na literatura relacionadas ao estresse digital. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura investigada a partir das fontes de informação: Web of Science, Scopus e PsycINFO, sem recorte temporal, buscando pelos termos estresse digital e digital stress. A partir dos resultados, procedeu-se a leitura dos títulos, resumos,Palavras-chave e, em alguns casos, a leitura dos textos completos. Foram selecionados 10 artigos estrangeiros dos quais emergiram três categorias temáticas: “Comunicação e Mídias Sociais”, “Psicologia” e “Gestão da Saúde”, demonstradas em um mapa conceitual. Os resultados contribuem significativamente para a Ciência da Informação e os sujeitos em geral, pois o fenômeno do estresse digital impacta na sociedade de maneira significativa. A produção científica sobre o tema é escassa, contudo, evidencia-se a relação existente entre estresse digital e ansiedade de informação. A pesquisa ratificou as concepções teóricas e pragmáticas sobre o estresse digital. A possibilidade de combate se dá por medidas de prevenção e enfrentamento que reduzem potencialmente os efeitos psicológicos associados ao estresse digital como ansiedade de informação, depressão, isolamento, além de melhorar o bem-estar das pessoas e a qualidade da saúde mental.

Palavras-chave: Saúde Mental. Informação. Tecnologias. Estresse. Estresse Digital.

Comunicação 5: HANSENÍASE NO DIRETÓRIO DE GRUPOS DE PESQUISA DA PLATAFORMA LATTES

Autoria(s): Carolina Rodrigues Barreiros da Silva; Márcia de Oliveira Teixeira; Cícera Henrique da Silva

Resumo: A hanseníase, antigamente conhecida como lepra, é uma doença negligenciada, invisibilizada e sofre com poucos recursos investidos em pesquisa. Este trabalho objetiva mapear os grupos de pesquisa nacionais com linhas de pesquisa sobre hanseníase cadastrados no Diretório de Grupos de Pesquisa da Plataforma Lattes, certificados e atualizados, e compõe a etapa inicial de uma dissertação de mestrado em andamento. Foi observado aumento significativo na quantidade de grupos sobre a temática a partir do século XXI e participação predominante das instituições públicas de pesquisa e ensino superior, principalmente aquelas localizadas nas regiões Nordeste, Norte e Sudeste.

Dia 27.10.2021 – Quarta-feira – Tarde – 14h-16h

Sessão: 04 – Qualidade, Competência e Informação em Saúde

Coordenador da sessão: Clóvis Montenegro de Lima – Pesquisador – IBICT (Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia)

Relator da sessão: Lidiane dos Santos Carvalho – UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro)

Comunicações

Comunicação 1: QUALIDADE DA INFORMAÇÃO E SAÚDE DO SERVIDOR: UMA AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO

Autoria(s): Edvania Nogueira Araújo; Daniel Araújo Martins

Resumo: A presente pesquisa se propôs a avaliar a Qualidade da Informação (QI) presente na funcionalidade Relatório de Pesquisas Gerenciais do Sistema Integrado de Administração de Pessoal (Siape), sistema que abriga o Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor (Siass), quanto o suporte à proposição de ações voltadas à saúde e à segurança do servidor em Universidades Federais. Trata-se de uma pesquisa de natureza aplicada, de cunho descritivo-exploratório, com abordagem quantitativa realizada a partir de um levantamento do tipo survey, cujo instrumento de coleta de dados foi um questionário autoaplicado inspirado no Modelo PSP/IQ de Kahn, Strong e Wang (2002). Para a análise dos dados foi utilizada a estatística descritiva. A pesquisa confirmou a presença das dimensões da qualidade da informação no relatório gerencial embora as dimensões Quantidade apropriada, Completeza, Facilidade de uso e Acessibilidade exijam mais atenção. Os resultados da pesquisa apontaram para a necessidade de melhorias de ordem organizacional, tecnológica e humana para o fortalecimento da qualidade da informação que é gerada e consequentemente do sistema, garantindo o seu uso continuado.

Palavras-chave: Gestão da Informação. Sistemas de Informação em Saúde. Saúde do Servidor público federal. Siape Saúde. Qualidade da Informação.

Comunicação 2: COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS PARA BIBLIOTECÁRIOS NA ÁREA DA SAÚDE: REFLEXÕES ACERCA DE UMA ATUAÇÃO COM MAIS RESPONSABILIDADE SOCIAL

Autoria(s): Débora Crystina Reis; Ana Paula Meneses Alves

Resumo: A atuação de bibliotecários na área da saúde é de longa data, desta forma, foram criados perfis de atuação e delimitadas as competências necessárias para um bom desempenho enquanto profissional da área da saúde. Refletindo sobre esta evolução da atuação, germina o objetivo deste trabalho: discutir competências a serem absorvidas e desenvolvidas por bibliotecários que atuem na área da saúde, sob o aspecto da responsabilidade social, como forma de melhorar a sua performance junto aos seus usuários e perante a própria sociedade.

Palavras-chave: Informação e saúde. Competências profissionais. Responsabilidade social.

Comunicação 3: INFORMAÇÃO PÚBLICA, SAÚDE E A AGENDA 2030: AVERIGUAÇÃO SOBRE A DISPONIBILIZAÇÃO DAS NORMATIVAS GOVERNAMENTAIS BRASILEIRAS NO COMBATE AO NOVO CORONAVÍRUS

Autoria(s): Carla Maria Martellote Viola; Anna Cristina Caldeira de Andrada Sobral Brisola; Silvana Maria de Jesus Vetter

Resumo: Em razão da Organização Mundial da Saúde ter declarado surto de pandemia pelo novo coronavírus, em 11 de março de 2020, o governo brasileiro priorizou ações para cuidar da saúde e do bem-estar da sociedade, além de antepor procedimentos em prol da disseminação e acesso à informação das medidas adotadas. Corroboram tais ações, os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, da Agenda 2030, que foi ratificada pelo Brasil. A justificativa desta pesquisa é a necessidade de saber se as informações públicas sobre as ações adotadas pelo Brasil estão em formato compreensível para toda a população. Assim, o objetivo do estudo é averiguar como o governo brasileiro disponibiliza seus documentos digitais, como propostas, leis e decretos que fazem parte do compêndio normativo para o combate ao novo coronavírus. Utiliza-se metodologia exploratória, bibliográfica e documental com abordagem qualitativa. Para possibilitar à sociedade acesso e conhecimento, a Câmara dos Deputados organiza na plataforma digital denominada “Combate ao coronavírus” infográficos para consulta das normativas que intentam a conformação das iniciativas governamentais para vencer a pandemia. A análise realizada a partir dos fundamentos da Competência em Informação e Competência Crítica em Informação identifica que a plataforma possibilita acesso e consulta dos documentos digitais, contudo, não permite a filtragem por tipo de proposta/normativa, e/ou por deputado, e/ou por ano e nem a pesquisa textual adequada nos conteúdos.

Palavras-chave: Agenda 2030. Saúde. Competência Crítica em Informação. Competência em Informação. Novo Coronavírus.

Comunicação 4: A QUALIDADE DE VIDA NA LITERATURA DE CORDEL

Autoria(s): Sandra Regina Moitinho Lage; Rosane Suely Alvares Lunardelli

Resumo: O tema qualidade de vida inclui fatores relacionados à saúde, bem-estar físico, funcional, emocional, mental e tem despertado a atenção de pesquisadores de diferentes áreas de conhecimento. Nessa diversidade de estudos, destaca-se a Literatura de Cordel, que apresenta em seus folhetos, temas diversos. De acordo com esse contexto, objetivou-se identificar nos folhetos de cordel, como estão representados os assuntos relacionados à qualidade de vida nos diferentes conteúdos que a literatura de cordel disponibiliza ao leitor e à sociedade. Quanto a metodologia, realizou-se um estudo de caráter descritivo com enfoque qualitativo. Para tanto, optou-se pelo método denominado Revisão Bibliográfica Integrativa e como subsídios, os elementos relacionados aos domínios e as facetas, do instrumento de Avaliação de Qualidade de Vida, o WHOQOL-bref. Os resultados evidenciam que o tema qualidade de vida, encontra-se em estrofes que retratam a importância do repouso e as atividades cotidianas, os sentimentos e pensamentos positivos, as relações sociais e questões pertinentes ao meio ambiente. A qualidade de vida, não se restringe ao estabelecer padrões de realizações na vida, ou a boa vontade e atitude individual de cada pessoa em mudar seus hábitos e atitudes. Considera-se, que fatores objetivos e subjetivos influenciam o cotidiano do indivíduo e sua relação com a saúde e a qualidade de vida. Nesse sentido, apresenta-se os folhetos de cordel, como importante meio de divulgação de informações corretas e confiáveis, as quais devem ser tratadas pela Ciência da Informação visando sua recuperação em diferentes contextos sociais.

Palavras-chave: Saúde. Qualidade de vida. Literatura de Cordel. Ciência da Informação.