enancib2021@ibict.br

Programa do GT 4

█ GT 4 – Gestão da Informação e do Conhecimento

Ementa: Gestão de ambientes, sistemas, unidades, serviços, produtos de informação e recursos informacionais. Estudos de fluxos, processos, usos e usuários da informação como instrumentos de gestão. Gestão do conhecimento e aprendizagem organizacional no contexto da Ciência da Informação. Marketing da informação, monitoramento ambiental e inteligência competitiva. Estudos de redes para a gestão. Aplicação das tecnologias de informação e comunicação à gestão da informação e do conhecimento.

: Coordenadora Pró-tempore: Profa. Dra. Nadi Helena Presser – UFPE
: Coordenadora Adjunta Pró-tempore: Profa. Dra. Marli Dias de Souza Pinto – UFSC

 

PROGRAMA COMPLETO DO GT 4 EM PDF

Versão atualizada em 28/09/2021 conforme solicitação do(a) coordenador(a) do GT

Versão atualizada em 28/09/2021 conforme solicitação do(a) coordenador(a) do GT

Dia 26.10.2021 – Terça-feira – Tarde – 14-17h

Sessão: 01 – Gestão da informação e do conhecimento em ambientes organizacionais

Coordenadora da sessão: Dra. Luciana Ferreira da Costa; Universidade Federal da Paraíba/ UFPB

Relator da sessão: A confirmar

Comunicações

Comunicação 1: A INCIDÊNCIA TEMÁTICA DE STARTUPS NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO BRASILEIRA: ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA NA BASE DE DADOS BRAPCI E NAS COMUNICAÇÕES DO ENANCIB

Autoria(s): Paulo Ricardo Silva Lima – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); João Rodrigo Santos Ferreira – Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Luciana Peixoto Santa Rita – Universidade Federal de Alagoas (UFAL); Ibsen Mateus Bittencourt, Marcos – Universidade Federal de Alagoas (UFAL); Aparecido Rodrigues do Prado – Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Resumo: As startups fomentaram mudanças significativas no âmbito das relações informacionais e na gestão de conhecimento, provocando o interesse dos pesquisadores da Ciência da Informação. Neste sentido, o objetivo da presente pesquisa foi analisar o nível de interesse sobre as startups em artigos científicos publicados no domínio da Ciência da Informação. Para tal análise, foi realizada uma pesquisa exploratória, de cunho quantitativo e qualitativo, nos anais do Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação e nos artigos disponíveis na Base de Dados Referenciais de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação, utilizando-se metodologicamente da bibliometria. As produções científicas recuperadas foram organizadas em dois quadros. Identificou-se, nas fontes analisadas, que as discussões acerca da temática eclodiram a partir de 2014, elencando, em especial e de forma investigativa, como os recursos tecnológicos influenciam a inovação para o desenvolvimento das startups e como o acesso e a gestão de informações têm contribuído para o surgimento desses negócios. Apesar das produções científicas nacionais do campo da Ciência da Informação acerca das startups encontrarem-se em estágio embrionário, observa-se uma tendência, entre os pesquisadores da área, em buscar compreender as mudanças nos processos e fenômenos informacionais que ocorrem nesses ecossistemas inovadores.

Palavras-Chave. Startups; Gestão da Informação; Acesso à informação; Inovação.

Comunicação 2: COMPORTAMENTO INFORMACIONAL DOS DISCENTES DA ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ/RN

Autoria(s): Luciana de Albuquerque Moreira – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Valéria Maria Lima da Silva – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Resumo: No ambiente escolar a competência em informação está relacionada ao aprender ao longo da vida, enquanto o comportamento informacional pode ser visto como, a habilidade em saber buscar as informações necessárias ao desenvolvimento do indivíduo. Diante desta perspectiva, o objetivo geral desta pesquisa consistiu em diagnosticar o comportamento informacional e a competência em informação dos discentes, dos cursos técnicos da Escola Agrícola de Jundiaí. Para a consecução deste objetivo, utilizou-se o modelo Information Search Process de Kuhlthau o qual caracteriza-se por analisar o comportamento dos usuários nos campos emocional, cognitivo e físico, a partir de seis estágios: iniciação, seleção, exploração, formulação, coleta e apresentação. Quanto à metodologia, trata-se de uma pesquisa exploratória e descritiva, com abordagem quantitativa, de natureza aplicada por meio de um estudo de caso com aplicação de um questionário eletrônico aos docentes, que serviu de subsídio para a construção do questionário aplicado aos discentes, dos cursos técnicos, sujeitos dessa pesquisa. Como resultados, observou-se que os pesquisados de modo parcial apresentavam características inerentes a competência em informação, e isto foi detectado a partir das questões relacionadas às habilidades no uso das fontes, acesso, avaliação e uso da informação, as quais foram comprovadas através das características observadas no Desenvolvimento de Habilidades em Informação a qual fazem parte do padrão desenvolvido pela International Federation Library Association.

Palavras-chaves: Comportamento Informacional. Competência em Informação. Modelo Information Search Process-ISP

Comunicação 3: ANÁLISE DE MODELOS DE MATURIDADE DE GESTÃO DO CONHECIMENTO

Autoria(s): Fábio Corrêa (Universidade FUMEC); Vinícius Figueiredo de Faria (Universidade FUMEC); Muira Helena Batista (Universidade FUMEC); Dárlinton Barbosa Feres Carvalho (Universidade Federal de São João del Rei– UFSJ); Jurema Suely de Araújo Nery Ribeiro (Universidade FUMEC).

Resumo: A Gestão do Conhecimento se relaciona com diversas perspectivas empresariais, dentre as quais destaca-se a mensuração, que preconiza a avaliação da maturidade do gerenciamento do conhecimento. Contudo, pesquisas científicas evidenciam que modelos de maturidade apresentam limitações, como insuficiência de informações para sua aplicação. Neste sentido, esta pesquisa tem por objetivo analisar a presença de aspectos imperativos para aplicação de modelos de maturidade em Gestão do Conhecimento, sendo: dimensões; instrumento; níveis; e método de análise. Por meio da técnica de Análise de Conteúdo esta pesquisa, de natureza exploratória-descritiva, foi conduzida. Por resultado, 17 modelos de maturidade em GC, foram analisados e identificou-se que há ausência de instrumento para essa aferição, insuficiência de informações quanto método de análise para posicionar a empresa em determinado nível de maturidade, bem como há negligência de dimensões a serem consideradas, o que dificulta a aplicação desses modelos por outrem. A análise de outras estruturas e, ou, a criação de um modelo atinente aos aspectos imperativos supracitados, são sugestões de pesquisas futuras.

Palavras-chave: Gestão do Conhecimento. Modelo. Maturidade. Níveis.

Comunicação 4: GESTÃO DO CONHECIMENTO: EVENTO INSTITUCIONAL COMO FONTE DE INFORMAÇÃO

Autoria(s): Adélia Caroline Félix – Universidade Federal de Alagoas UFAL); Andrew Beheregarai Finger – Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Resumo: Explana-se acerca dos conceitos de gestão do conhecimento organizacional e de como as fontes de informação podem gerar novos conhecimentos por meio do aprendizado. O principal objetivo é analisar o uso estratégico das fontes de informação, sobretudo dos eventos institucionais, como meio de geração de conhecimento. Como fundamentação metodológica utiliza a pesquisa bibliográfica, é descritivo e emprega a abordagem qualitativa. Como proposta, apresenta uma classificação dos eventos institucionais, focando em suas potencialidades como fontes de informação. Concluindo, portanto, que essas fontes são uma alternativa para potencializar e melhor administrar os recursos informacionais de uma organização e para gerar conhecimento.

Palavras-chave: Criação do Conhecimento. Fontes de Informação. Eventos Institucionais.

Comunicação 5: COMPORTAMENTO INFORMACIONAL EM UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA

Autoria(s): Sara Salsa Papaleo – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Luciana de Albuquerque Moreira – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Resumo: A rotina administrativa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte trabalha com um conjunto de sistemas, dentre eles o Mesa Virtual, que foi criado para gerenciar processos e documentos eletrônicos. Este trabalho investigou o comportamento informacional dos servidores no que tange à utilização do Mesa Virtual. O objetivo foi analisar o comportamento informacional dos servidores técnico-administrativos frente à introdução desta nova ferramenta, tendo como base o modelo de Wilson (1981) e almejando a elaboração de uma proposta de intervenção. Para tal, foram traçados objetivos específicos, ei-los: a) Entender as necessidades informacionais dos servidores com relação ao uso do Mesa Virtual; b) Identificar os canais e fontes de informação mais utilizados pelos servidores; c) Caracterizar o processo de busca e uso das informações, identificando as práticas de busca e possíveis barreiras percebidas pelos servidores. Foi realizada uma pesquisa aplicada, descritiva e qualitativa, na qual foram entrevistados 14 técnicos administrativos e cujo material foi interpretado a partir da análise de conteúdo. Os resultados apontaram que as necessidades informacionais dos servidores não estão restritas à adaptação tecnológica; que eles recorrem a fontes diversificadas, incluindo pessoas como fontes de informação; e, que enfrentam barreiras tanto ambientais (expressivamente mais presentes), quanto pessoais e sociais. As ações propostas para serem implementadas no Mesa Virtual envolvem uma seção de Perguntas Frequentes, uma Carta de Serviços, e a proposição de uma equipe que promova o treinamento “in loco”, além da sugestão de ações de revisão e atualização futuras.

Palavras-chave: Comportamento Informacional; Modelo de Wilson; Necessidade de informação; Sistema Mesa Virtual.

Comunicação 6: A PRÁTICA DO M-LEARNING NA BIBLIOTECA ESCOLAR DR. EDVARD TEIXEIRA FÉRRER: APLICAÇÃO DA ANÁLISE SWOT E ESTRATÉGIAS DE FORTALECIMENTO DA LEITURA E ENSINO

Autoria(s): Rodrigo Nobrega Martins – Universidade Federal do Cariri (UFCA); Hemerson Soares da Silva – Universidade Federal do Cariri (UFCA); David Vernon Vieira – Universidade Federal do Cariri (UFCA).

Resumo: Realiza por meio de análise SWOT uma avaliação das atividades da biblioteca João Paulo II da Escola de Ensino Fundamental Dr. Edvard Teixeira Férrer. Estabelece estratégias de uso do M-Learning Social no contexto da biblioteca a fim de fortalecer a leitura e o processo de ensino-aprendizagem dos estudantes. Foram elaboradas estratégias para aprimoramento dos aspectos da biblioteca com a aplicação de conceitos do M-Learning Social, para fortalecimento da biblioteca, e, consequentemente, do ensino-aprendizado dos alunos.

Palavras-chave: M-Learning Social; Análise SWOT; Biblioteca escolar; Escola Edvard Teixeira Férrer.

Comunicação 7: CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NA ERA DA PÓS-VERDADE: ANÁLISE DO FACT-CHECKING COMO FERRAMENTA DE COMBATE ÀS FAKES NEWS (GT especial)

Autoria(s): Anna Raquel de Lemos Viana – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Paulo Ricardo da Silva Lima – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Májory Karoline Fernandes de Oliveira Miranda – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Nadi Helena Presser – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Dia 26.10.2021 – Terça-feira – Noite – 18-20h

Sessão: 02 – Gestão da informação e do conhecimento em ambientes organizacionais

Coordenadora da sessão: Dra. Marta Valentim; Universidade Estadual Paulista/UNESP

Comunicações

Comunicação 1: COMPARTILHAMENTO INDEVIDO DE INFORMAÇÕES NAS REDES SOCIAIS DIGITAIS

Autoria(s): Shaennya Pereira Vanderley – Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Alzira Karla Araújo da Silva – Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Resumo: Analisa o compartilhamento de informações nas redes sociais digitais, que ocorre de forma célere, expansiva e possibilita maior interação nas redes. Aborda a violação aos direitos das mulheres por meio do compartilhamento indevido de informações de teor íntimo, reflete sobre as implicações jurídicas do compartilhamento indevido de informações nas redes sociais e apresenta a legislação que tipifica o registro e compartilhamento indevido de conteúdo íntimo. Apresenta resultados de uma pesquisa de mestrado cujo objetivo principal foi analisar o compartilhamento de informações em redes sociais digitais que se constitui como violação ao direito das mulheres com base nos registros da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher da cidade de Sousa, na Paraíba/Brasil. Metodologicamente, se caracteriza como uma pesquisa documental, de alcance descritivo, com abordagem quantiqualitativa. Os resultados demonstram o compartilhamento indevido de diferentes tipos de informação, simultâneo ou isolado, evidenciando, principalmente, a utilização das redes sociais Facebook e WhatsApp. Conclui que a utilização das redes sociais para disseminação indevida de informação agrava os prejuízos suportados pelas vítimas e considera a existência de uma rede de atendimentos especializados como um fator que viabiliza a proteção às vítimas e a desinformação e o julgamento social como fatores que dificultam o amparo à mulher.

Palavras-chave: Gestão da Informação; Redes sociais digitais; Compartilhamento de informação; Violência contra a mulher.

Comunicação 2: RELEVÂNCIA DA CONVERSÃO DO CONHECIMENTO ORGANIZACIONAL PARA O SISTEMA DE INTELIGÊNCIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DE MINAS GERAIS

Autoria(s): Renato Pires Moreira – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Marcello Peixoto Bax – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Resumo: O conhecimento é criado de uma interação social, partindo do tácito para o explícito e convertido nos modos socialização, externalização, combinação e internalização. A inteligência repousa na produção de conhecimento, com o manuseio de informações sigilosas objetivando assessorar os tomadores de decisão. As agências de inteligência do Sistema Estadual de Inteligência de Segurança Pública de Minas Gerais assessoram o processo decisório governamental com conhecimentos de interesse da segurança pública. A partir de uma revisão de literatura, apresentar-se-á a gestão do conhecimento, destacando a importância do conceito de “conversão do conhecimento organizacional” para o sistema de inteligência de segurança pública mineiro.

Palavras-chave: Gestão do Conhecimento. Conversão do Conhecimento Organizacional. Sistema de Inteligência. Inteligência de Segurança Pública.

Comunicação 3: MEMÓRIA ORGANIZACIONAL E VALOR DA INFORMAÇÃO: PROPOSTA DE MODELO CONCEITUAL

Autoria(s): Juliana Cardoso dos Santos – Universidade Estadual de Londrina (Uel); Marta Lígia Pomim Valentim – Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo: A memória organizacional e o valor da informação são ubíquos e estão intrinsicamente ligados à competitividade das organizações. Nesse cenário, acredita-se que propor um modelo conceitual para a estruturação da memória organizacional potencializa a competitividade das organizações. Esta pesquisa possui natureza qualitativa, é tipologicamente descritiva, exploratória e fez uso do mapa conceitual, objetivando propor um modelo conceitual de memória organizacional para o Instituto Senai de Tecnologia em Tecnologia de Informação e Comunicação. O modelo tem como meta sistematizar a circulação de informações, evitar perda do conhecimento intelectual, integrar saberes, fazer uso e reúso da experiência e do autoconhecimento, e pressupõe que a mesma memória tem como obstáculos a preservação do contexto, explicitar conhecimentos informais e superar a ênfase em artefatos. Espera-se contribuir e enriquecer o arcabouço teórico do campo científico da Ciência da Informação, mais especificamente no que se refere à proposição de modelo conceitual para estruturação da memória organizacional, com vistas ao valor da informação e à competitividade organizacional.

Palavras-chave: Memória Organizacional; Valor da Informação. Modelo Conceitual. Ambiente Organizacional.

Comunicação 4: GESTÃO DO CONHECIMENTO: VISÃO DE GESTORES SOBRE FERRAMENTAS E PRÁTICAS

Autoria(s): Daniel de Araújo Martins – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Márcia Valéria Alves – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Resumo: O objetivo do presente trabalho é analisar a percepção dos gestores da Biblioteca Central Zila Mamede quanto ao processo, ferramentas e práticas de Gestão do Conhecimento. A pesquisa é de abordagem qualitativa, de natureza descritiva, por meio de um estudo de caso. Quanto aos instrumentos escolhidos para a coleta dos dados, entrevistas semiestruturadas foram realizadas com o diretor e os coordenadores da Biblioteca Central Zila Mamede. Os dados qualitativos foram analisados a partir da análise de conteúdo de Bardin (2011). Embora a pesquisa seja de cunho qualitativo, a estatística descritiva simples foi empregada com o intuito de quantificar alguns padrões de resposta identificados nas questões do roteiro de entrevista com escopo de resposta mais restrito (questões fechadas). Como resultado, percebeu-se que os gestores ainda não possuem a compreensão total do que se trata a Gestão do Conhecimento, além de a maioria não saber mencionar ferramentas e práticas de Gestão do Conhecimento. Verificou-se também que as ferramentas e práticas da dimensão relacionada às tecnologias são tanto mais conhecidas pelos gestores quanto utilizadas pelos servidores. Ademais, foram identificadas as principais dificuldades encontradas na biblioteca em relação a adquirir, criar, armazenar, compartilhar e utilizar o conhecimento. Por essa razão, foi sinalizado um plano de ação para implantação de ferramentas e práticas de Gestão do Conhecimento na Biblioteca Central Zila Mamede.

Palavras-chave: Gestão do Conhecimento. Bibliotecas universitárias. Gestores. Ferramentas e práticas de Gestão do Conhecimento.

Comunicação 5: ASPECTOS RELEVANTES DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DO CONHECIMENTO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Autoria(s): Marcelo Ricardo Martelo – UNESP MARÍLIA; Meiriellen Cristina Faria Bussadori – UNESP MARÍLA; Simone Cristina Ceron Ripoli – UNESP MARÍLIA; Ieda Pelógia Matins Damian – UNESP MARÍLIA; Márcia Cristina de Carvalho Pazin Vitoriano – UNESP MARÍLIA

Resumo: O presente trabalho tem como objetivo abordar a gestão do conhecimento no contexto da administração pública a partir da identificação dos fatores críticos de sucesso da Gestão do Conhecimento. Para cumprimento desse objetivo foi realizada uma revisão bibliográfica sobre os temas Gestão do Conhecimento e Administração Pública, considerando trabalhos publicados nos últimos dez anos. Os resultados demonstram que, para a implantação da gestão do conhecimento na administração pública, devem ser consideradas algumas características específicas do setor governamental para definir os fatores críticos de sucesso, conforme indicados pela bibliografia estudada. Foram identificados os seguintes fatores: cultura organizacional do setor público, natureza da liderança, políticas públicas de natureza estratégica, aplicação da tecnologia da informação, infraestrutura organizacional, características dos processos e atividades, recursos disponíveis e gestão de pessoas. Depois de identificados, estes fatores devem ser trabalhados estrategicamente a fim de que a implantação da gestão do conhecimento produza resultados positivos, com o consequente aprimoramento da gestão púbica em benefício da sociedade.

Palavras-chave: Administração pública. Fatores críticos de sucesso. Gestão do conhecimento.

Comunicação 6: GESTÃO DA INFORMAÇÃO E PROCESSOS INOVATIVOS NO CONTEXTO ORGANIZACIONAL: POSSIBILIDADES E POTENCIALIDADES

Autoria(s): Gustavo Gonçalves Colombo (Universidade Estadual Paulista – UNESP – Faculdade de Filosofia e Ciências); Elaine da Silva (Universidade Estadual Paulista – UNESP – Faculdade de Filosofia e Ciências); Luana Maia Woida (Universidade Estadual Paulista – UNESP – Faculdade de Filosofia e Ciências); Marta Lígia Pomim Valentim (Universidade Estadual Paulista – UNESP – Faculdade de Filosofia e Ciências).

Resumo: Discute-se a relação existente entre a gestão da informação e a inovação em contexto organizacional, a fim de compreender as convergências entre esses temas e como esses fenômenos ocorrem nas organizações. A partir das teorias que subsidiam a gestão da informação e a gestão da inovação, reflete-se sobre a necessidade de um olhar ampliado acerca de inter-relações dessas teorias em contexto organizacional, uma vez que podem envolver objetivos e metas similares. No que tange aos procedimentos metodológicos realizou-se uma revisão bibliográfica de textos clássicos e de textos que apresentassem resultados relevantes de pesquisas sobre os temas supracitados. Os resultados evidenciam a importância da gestão da informação em contexto organizacional sobretudo no que tange a análise e retroalimentação do processo decisório que contribui para a geração de inovação garantindo a competitividade e perenidade as atividades da organização. Conclui-se que a gestão da informação pode subsidiar os processos de geração e gestão de inovação nos contextos organizacionais contribuindo com ferramentas, estratégias e recursos para que a organização gere diferenciais competitivos.

Palavras-chave: Gestão da Informação. Inovação. Cultura de Inovação. Diferenciais Competitivos. Competitividade Organizacional.

Comunicação 7: ABORDAGENS ARQUIVÍSTICAS SOBRE SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO CENÁRIO INTERNACIONAL (GT – Especial)

Autoria(s): Luana Lobo Santos; Marli Dias de Souza Pinto.

Resumo: O presente estudo objetivou analisar as abordagens arquivísticas internacionais acerca do desenvolvimento sustentável e da sustentabilidade apresentadas no XVII Congresso do Conselho Internacional de Arquivos, realizado em 2012, o primeiro evento científico no âmbito dos arquivos e da Arquivologia a tratar essa temática. São apresentados os dados resultantes do levantamento elaborado a partir das comunicações orais, em consonância com as dimensões do desenvolvimento sustentável, ambiental, econômica e social. Constatou-se que os arquivos e a Arquivologia se situam, garantindo o acesso à informação, a preservação dos documentos, por meio da adoção de práticas sustentáveis, sobretudo corroborando com a sustentabilidade informacional.

Palavras-chave: Arquivos. Arquivologia. Sustentabilidade. Desenvolvimento Sustentável. Sustentabilidade Informacional.

Comunicação 8: FLUXO INFORMACIONAL NO SISTEMA DE PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO

Autoria(s): Bárbara Carvalho Diniz (Universidade Federal da Paraíba – UFPB); Alzira Karla Araújo da Silva (Universidade Federal da Paraíba- UFPB)

Resumo: O sistema de Processo Judicial Eletrônico, criado e mantido pelo Conselho Nacional de Justiça, consiste num sistema de tramitação, armazenamento e gerenciamento de processos judiciais eletrônicos amplamente utilizado em grande parte dos tribunais brasileiros. Sabendo que uma de suas finalidades consiste no gerenciamento de informações, documentos e processos judiciais, o estudo objetiva compreender o fluxo informacional do sistema de Processo Judicial Eletrônico, a partir de aspectos facilitadores e possíveis barreiras informacionais. Consiste em pesquisa exploratória-descritiva, bibliográfica, documental e qualitativa. Adota como técnicas de coleta de dados a observação e entrevistas. Utiliza a análise de conteúdo como técnica de análise de dados. Os resultados mapeiam o fluxo informacional do sistema, utilizado pelos funcionários das vara s do judiciário, bem como faz considerações sobre as fases do fluxo informacional – necessidade, inserção, organização, busca, recuperação, uso, compartilhamento e eliminação. Conclui que o sistema PJe é essencial as atividades do poder judiciário e promove agilidade na tramitação e acesso às informações, em especial em etapas como busca, recuperação e compartilhamento. No entanto, conclui que a ausência de destinação de informações e documentos, em especial a eliminação não é cumprida de acordo com a legislação e teoria pertinente e que, eventualmente, pode ser uma barreira informacional para o acesso e uso das informações.

Palavras-chave: Fluxo informacional. Processo Judicial Eletrônico. Gestão da Informação.

Dia 27.10.2021 – Quarta-feira – Manhã – 9-12h

Sessão: 03 – Gestão da informação e processos organizacionais

Coordenadora da sessão: Dra. Andréa Vasconcelos Carvalho; Universidade Federal do Rio Grande do Norte/UFRN

Comunicações

Comunicação 1: ANÁLISE SWOT E PLANO DE MARKETING PARA BIBLIOTECA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CAPUS CRATO

Autoria(s): Judah Henrique Pinheiro de Figueiredo – Universidade Federal do Cariri; David Vernon Vieira – Universidade Federal do Cariri.

Resumo: De modo a demonstrar seu valor perante a comunidade de usuários realizou-se uma análise SWOT dos pontos fortes e fracos, ameaças e oportunidades, nos aspectos externos e internos da biblioteca do Instituto Federal do Ceará campus Crato, assim como, foi proposto um plano de marketing contendo ações que possibilitem melhorar a visibilidade da biblioteca. A abordagem da pesquisa é aplicada, com a análise dos dados de modo qualitativo. O método se configura como de caráter exploratório e descritivo e de cunho bibliográfico. Constatou-se que as dificuldades enfrentadas estão concentradas no âmbito financeiro que impactam diretamente no desenvolvimento das atividades, na divulgação das ações e interação com os usuários. Diante do cenário de incertezas e escassez de recursos orçamentários sugere-se a criação de perfis nas redes sociais e ações de marketing que melhorem a comunicação e divulgação de seus serviços e produtos juntamente à comunidade de usuários.

Palavras-chave: Biblioteca; Análise SWOT; Plano de marketing para bibliotecas.

Comunicação 2: AS BIBLIOTECAS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS DA REGIÃO SUDESTE: ANÁLISE DE SERVIÇOS E RECURSOS TECNOLÓGICOS, HUMANOS E ORÇAMENTÁRIOS

Autoria(s): Antônio Afonso Pereira Júnior – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Marlene Oliveira Teixeira Melo – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Resumo: A pesquisa analisa as bibliotecas universitárias das universidades federais brasileiras da região sudeste quanto aos recursos orçamentários e tecnológicos para desenvolver serviços e produtos para comunidade acadêmica. O universo do estudo reúne 19 bibliotecas universitárias federais da região sudeste do país, no recorte temporal de 2017 a 2019. A pesquisa foi um levantamento de marco teórico que apresenta a história da universidade no Brasil e da biblioteca universitária. E a segunda à coleta dos dados, na forma de um questionário enviado as unidades de informação. Para a análise dos dados coletados, foram selecionadas algumas categorias a partir do questionário.

Palavras-chave: Biblioteca Universitária. Universidades Federais. Orçamento público.

Comunicação 3: CRIAÇÃO E COMPARTILHAMENTO DO CONHECIMENTO: O YOUTUBE® UM BA.

Autoria(s): :Frederico Divino Dias – Universidade FUMEC; Armando Sérgio de Aguiar Filho – Universidade FUMEC

Resumo: Na atualidade o conhecimento humano é um bem que tem sido amplamente discutido pela academia científica. Não díspar a estas discussões estão os canais de mediação – reais ou virtuais, que se fazem presentes amplamente divulgados na sociedade. Um destes canais virtuais é a plataforma colaborativa YouTube® que conta com o propósito de permitir o compartilhamento de materiais audiovisuais de pessoas e organização. O presente estudo apresenta uma discussão teórica acerca da possibilidade da visualização da plataforma YouTube® como uma arena de criação e compartilhamento do conhecimento. Abordando as principais teorias acerca da temática, esta pesquisa associou conceitos presentes na literatura da Gestão do Conhecimento que permitirão a análise da mídia social enquanto um contexto capacitante ou ‘ba’. Para o alcance deste objetivo os autores se valeram de uma revisão sistemática de literatura com abordagem qualitativa para desenhar este estudo descritivo exploratório. Ao longo das análises realizadas foi possível notar que o YouTube® pode ser visto como uma plataforma que atua na mediação das interações sociais de variadas pessoas estabelecendo redes e comunidades de práticas. Neste cenário, portanto, esta mídia social pode ser entendida como um contexto capacitante, uma vez que atua na facilitação dos processos de criação e compartilhamento dos mais variados tipos de conhecimento.

Palavras-chave: Conhecimento. Contexto Capacitante. YouTube®.

Comunicação 4: ESTRATÉGIAS DE INOVAÇÃO E GESTÃO DO CONHECIMENTO

Autoria(s): Silvana de Souza Moraes – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP; Luciana Cristina Leite – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP; Ieda Pelógia Martins Damian – Universidade de São Paulo – USP

Resumo: Este estudo objetiva fornecer um panorama dos temas recorrentes quando se investiga estratégias de inovação e gestão do conhecimento. Para isso, realizou-se uma pesquisa bibliográfica nas bases de dados Scopus e Web of Science com os temas investigados, no período de 2014 a 2019. Os resultados mostram que, quando se investigam estratégias de inovação e gestão do conhecimento, os estudos se concentram em inovações abertas. A pesquisa possui a limitação do recorte temporal, visto que elege um período de investigação, não abrangendo a totalidade dos artigos já publicados. O trabalho oferece uma visão dos conceitos relacionados aos temas investigados, além de trazer os estudos empíricos e práticos nas organizações que se utilizam de estratégias de inovação combinadas com a gestão do conhecimento. O artigo mostra-se original por lançar luz a combinação destes temas e na necessidade de mais estudos que foquem a gestão do conhecimento interno para a geração de inovação.

Palavras-chave: Estratégias de Inovação. Gestão do Conhecimento. Revisão sistemática de literatura.

Comunicação 5: CONTRIBUIÇÕES DA GESTÃO LADISLAU NETTO NO MUSEU NACIONAL

Autoria(s): Almiraci Dantas dos Santos – Universidade Federal de Alagoas (UFAL); Maria de Lourdes Lima – Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Resumo: O artigo responde ao objetivo de investigar a gestão de Ladislau Netto no Museu Nacional, entre 1870 e 1893, por meio uma revisão de literatura. Desse modo, conclui-se que suas ações são objetos da implementação dos Regulamentos de 1876, 1888 e 1890, articulados à criação de cursos e concursos públicos, da revista Arquivos, das expedições científicas atreladas à exposição e ao colecionismo. Esse conjunto consolidou o Museu Nacional, cujo ápice remete à Exposição Antropológica Brasileira de 1882 e ao reconhecimento da instituição no Brasil e Ocidente, além de abrir caminhos para os estudos da Antropologia e do Indigenismo no país.

Palavras-chave: Ladislau Netto; Museu Nacional; Gestão.

Comunicação 6: Inovação em bibliotecas: uma proposta de implantação de um serviço informacional colaborativo-sustentável

Autoria(s): Diego Leonardo de Souza Fonseca – Universidade Estadual de Londrina (UEL); Thais Batista Zaninelli – Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Resumo: Este artigo tem como finalidade apresentar uma proposta de implantação de um novo serviço informacional na Biblioteca do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas – Campus Manaus Zona Leste. O processo de inovação em serviços de informação por organizações do tipo biblioteca, tem sido uma tendência tendo em vista a mudança no comportamento de uso, consumo e apropriação da informação pelos usuários. De natureza teórica, este estudo embasou-se em uma revisão da literatura a partir do acesso às bases de dados da Ciência da Informação. A coleta de dados foi realizada nas seguintes bases de dados: Base de Dados Referencial de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação (BRAPCI), SciELO e na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD). Como resultado, apresenta-se a proposta de implantação do serviço Biblioitens, que visa incentivar a economia compartilhada e o processo de consumo colaborativo a partir do empréstimo de itens para o uso diário dos usuários da biblioteca. Com esse serviço, pretende-se influenciar a cultura organizacional da biblioteca e propiciar um ambiente mais sustentável para todos, conforme preconiza a Agenda 2030.

Palavras-chave: Inovação em serviço de informação; Economia compartilhada; Consumo colaborativo; Agenda 2030; Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Comunicação 7: BIBLIOTECAS COMUNITÁRIAS SOB A PERSPECTIVA DA AGENDA 2030

Autoria(s): Danielle Pinho da Silva; Genilson Geraldo; Marli Dias de Souza Pinto (GT- Especial)

Resumo: A Biblioteca comunitária se insere como espaço social de acesso a leitura, cultura e à informação. São criadas pela comunidade, sendo um espaço privilegiado de mudança social. Este estudo buscou identificar publicações cientificas sobre a discussão do desenvolvimento sustentável e Agenda 2030 em bibliotecas comunitárias, na Base de Dados da Ciência da Informação (BRAPCI) no período de 2015 a 2020. Quanto ao objetivo do estudo caracteriza-se como exploratório descritivo, e os procedimentos técnicos, uma pesquisa bibliográfica de abordagem qualitativa. Constatou-se que as publicações recuperadas são incipientes sobre a temática biblioteca comunitária, principalmente relacionadas ao desenvolvimento sustentável e a Agenda 2030.

Palavras-chave: Biblioteca comunitária. Socialização do conhecimento. Agenda 2030. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Dia 27.10.2021 – Quarta-feira – Tarde – 14-17h

Sessão: 04 – Gestão da informação e processos organizacionais

Coordenador da sessão: Dr. Wattson José Saenz Perales; Universidade Federal do Rio Grande do Norte/ UFRN

Comunicações

Comunicação 1: GESTÃO DA INFORMAÇÃO EM RESULTADOS DE PREGÕES ELETRÔNICOS: UMA ANÁLISE NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

Autoria(s): Sarah Medeiros Batinga – Universidade Federal de Alagoas (UFAL); Andrew Beheregarai Finger – Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Resumo: A informação é um recurso estratégico e por isso, é necessária uma gestão de informação eficiente. Este artigo visa analisar as causas de cancelamentos de itens nos pregões eletrônicos por meio da gestão da informação. O objeto de estudo são os resultados dos pregões eletrônicos de 2018 e 2019 na Universidade Federal de Alagoas. A pesquisa é descritiva, com métodos qualitativos e quantitativos. Tem como resultado da pesquisa que as causas encontradas para cancelamento de itens podem estar relacionadas a não observância dos elementos da gestão da informação, como da necessidade de informação, aquisição da informação e distribuição da informação.

Palavras-chave: Informação. Gestão da informação. Compras públicas.

Comunicação 2: ATENDIMENTO REMOTO NO INSS E A PERCEPÇÃO DO USUÁRIO

Autoria(s): Patrícia Soares da Silva Bertotti – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Luciane Paula Vital – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Resumo: Tem como objetivo geral descrever a experiência e a percepção dos segurados frente ao uso das tecnologias como forma exclusiva de atendimento no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Apresenta, a partir de uma revisão de literatura e análise documental, os aspectos da Transformação Digital em curso no INSS. Pesquisa de abordagem qualitativa, com entrevistas semiestruturadas, participantes selecionados intencionalmente a partir de um perfil de usuário que busca por atendimento na instituição utilizando o aplicativo “Meu INSS” ou telefone 135. Os resultados apontam que, apesar da relevância dos suportes tecnológicos os usuários demonstram insegurança com o atendimento de forma remota.

Palavras-chave: Gestão da Informação. Transformação Digital. Previdência Social. INSS Digital.

Comunicação 3: CARTOGRAFIA DAS BIBLIOTECAS FLUMINENSES: DIRETÓRIO DE DADOS CADASTRAIS PARA GESTÃO DA INFORMAÇÃO NO CONTEXTO DA PANDEMIA

Autoria(s): Jaqueline Santos Barradas – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO); Stefanie Cavalcanti Freire – Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

Resumo: Pesquisa em curso, iniciada em 2020, cujo objetivo é investigar o planejamento e a coordenação de ações de gestores públicos e privados para adequação do funcionamento das bibliotecas durante e depois da pandemia de COVID-19. O objeto e recorte são bibliotecas públicas, de caráter público, especializadas, universitárias, públicas e privadas, situadas na cidade do Rio de Janeiro, região metropolitana e Petrópolis. Como subproduto da pesquisa, encontra-se em andamento um diretório de dados cadastrais sobre as bibliotecas contempladas no escopo do projeto, com a intenção de possibilitar sua execução e, posteriormente, compartilhar com pesquisadores e instituições, seguindo o fluxo dinâmico da gestão da informação.

Palavras-chave: Bibliotecas. Rio de Janeiro. Pandemia. Diretório. Gestão da Informação.

Comunicação 4: GESTÃO DE RISCOS NAS UNIDADES INFORMACIONAIS: PRECISAMOS FALAR SOBRE ISSO

Autoria(s): Priscila Lopes Menezes – Universidade Estadual de Londrina (PPGCI UEL); Terezinha Elisabeth da Silva – Universidade Estadual de Londrina (PPGCI UEL).

Resumo: Trata-se de pesquisa qualitativa, caracterizada como bibliográfica e documental que objetiva pontuar a necessidade da elaboração e efetiva implantação do plano de gerenciamento de riscos nas instituições custodiadoras de memória. Traz como questionamento, o que a alta administração, em instituições públicas federais, tem se proposto a fazer a fim de proteger seus acervos? Aponta como considerações finais a existência de legislação e normas que tratam sobre o tema, no entanto, é preciso colocar em prática a teoria a fim de reduzir as perdas informacionais.

Palavras-chave: Gestão de riscos. Unidades informacionais. Perdas informacionais.

Comunicação 5: REVISÃO SISTEMÁTICA: GATILHOS ORGANIZACIONAIS DE IMPLEMENTAÇÃO DE PRÁTICAS BPM

Autoria(s): Karina de Jesus Pinto Aganette – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Elisângela Cristina Aganette – Universidade Federal de Minas Gerais – (UFMG).

Resumo: A estabilidade mercadológica das instituições está cada vez mais orientada à gestão por processos, em que sua estratégia e estrutura de trabalho, é organizada em função dos processos de negócio. Embora amplamente adotada, a operacionalização de projetos de Business Process Management (BPM) não é garantia de resolução dos problemas organizacionais, ou da satisfação dos clientes. A literatura aponta que um dos agentes que impactam o sucesso de projetos BPM está relacionado aos objetivos que levam uma instituição a investir em um projeto de BPM. Desse modo, buscou-se identificar a partir dos estudos que abordem e evidenciam os “gatilhos organizacionais” que motivam a implementação de práticas de BPM, quais os reis gatilhos que motivam a adoção de práticas BPM. Apontada como uma pesquisa básica, e por meio de uma abordagem qualitativa exploratória, a metodologia pautou-se na execução de uma Revisão Sistemática de Literatura (RSL), estruturada em três etapas: planejamento da revisão; aplicação do protocolo; e síntese e análise dos estudos para identificação das categorias de gatilhos organizacionais que conduziram à implementação das práticas de BPM. Foram elaboradas dez categorias de gatilhos organizacionais para classificação dos 21 artigos de periódicos selecionados para análise e sumarização dos dados. Constatou-se que automação e a automatização de processos foi o gatilho organizacional de maior recorrência, além disso observou-se uma incidência da aplicação do BPM para fins de Gerenciamento da Informação e do Conhecimento, corroborando com a importância do estudo do BPM sob a perspectiva da área de Ciência da Informação.

Palavras-chave: Implementação de Práticas de BPM. Projetos BPM. Gatilhos Organizacionais. Gestão por Processos. Revisão Sistemática de Literatura.

Comunicação 6: COMPETÊNCIAS E ATIVIDADES DOS BIBLIOTECÁRIOS DECORRENTES DA PANDEMIA DO COVID-19: ATUAÇÕES E DESAFIOS

Autoria(s): Alessandra Caetano Patuzzo – Universidade Federal do Espírito Santo; Gleice Pereira – Universidade Federal do Espírito Santo; Marta Leandro da Mata – Universidade Federal do Espírito Santo.

Resumo: Quais foram às competências dos bibliotecários durante a pandemia do COVID-19, correlacionadas com a oferta dos serviços de referência, voltadas ao desenvolvimento da competência em informação de seus usuários, no contexto atual das bibliotecas universitárias brasileiras? A partir desse problema de pesquisa, realizou-se uma pesquisa quali-quantitativa. Os resultados mostraram que os bibliotecários precisam estar aptos na utilização e aplicabilidade das novas tecnologias, procurando sempre se adaptar às realidades do seu meio, tanto para o surgimento das novas tecnologias, quanto para a sua adequação a situações e momentos atípicos.

Palavras-chave: Bibliotecas universitárias. Serviços de referência. COVID 19.

Comunicação 7: MODELOS DE MATURIDADE PARA A GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTOS

Autoria(s): Eduardo Watanabe – Universidade de Brasília; Renato Tarciso Barbosa de Sousa – Universidade de Brasília.

Resumo: Os modelos de maturidade são instrumentos para identificar o estágio em que se encontra a gestão em determinada área de uma organização. Eles são úteis para a formulação de uma política institucional de gestão e como instrumento de planejamento, aonde se quer chegar. O problema de pesquisa consiste na seguinte pergunta: quais são as limitações dos modelos de maturidade para a gestão da informação e documentos? Os procedimentos metodológicos consistem em atualizar a revisão sistemática da literatura sobre o assunto. Foram identificados 36 modelos de maturidade de gestão da informação e documentos e reunidos 11 atributos para comparação. Como resultados foram verificados pontos positivos relacionados à utilidade do instrumento para a gestão, a gratuidade da maior parte dos modelos e a utilização da auto avaliação como formato predominante. Os pontos negativos foram a falta generalizada de uma estrutura de desenvolvimento dos modelos, a ausência de método de avaliação/aplicação/diagnóstico na maior parte dos modelos e a baixa sustentabilidade no tempo e rastreabilidade dos critérios de avaliação. Concluímos que se trata de campo de pesquisa promissor para desenvolvimento e contribuição para a gestão da informação e documentos.

Palavras-chave: Modelos de maturidade. Gestão da Informação. Gestão de Documentos.

Dia 27.10.2021 – Quarta-feira – Noite – 18-19h

Sessão: 05 Gestão da informação e processos organizacionais

Coordenador da sessão: Dra. Nadi Helena Presser; Universidade Federal de Pernambuco

Comunicações

Comunicação 1: APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL NO ÂMBITO DO ENSINO REMOTO

Autoria(s): Jacqueline Echeverría Barrancos – Universidade Estadual da Paraíba; Josélia Maria Oliveira da Silva – Universidade Federal da Paraíba; Tereza Evâny de Lima Rênor Ferreira – Universidade Federal Rural de Pernambuco.

Resumo: Com a eclosão do novo coronavírus – COVID-19, instalou-se a pandemia, e muitas instituições de ensino tiveram que suspender as aulas presenciais e colocar em prática uma modalidade de aulas a distância. No entanto, ações como capacitação, treinamento, didática dos docentes, preparação do corpo funcional da Instituição envolvido neste momento contingencial da educação demandam as condições oportunas para o desenvolvimento da aprendizagem organizacional. O objetivo principal desta pesquisa foi de analisar os indicadores informacionais constituídos no ciclo da aprendizagem organizacional de Dixon que contribuem para o desempenho das atividades de ensino remoto dos docentes do ensino superior. Realizou-se uma pesquisa de abordagem quantitativa e qualitativa, com questionário on-line aplicado a quarenta e cinco docentes de Instituições de Ensino Superior, públicas e privadas. Os resultados da pesquisa indicaram que os treze elementos inseridos nas etapas do modelo, aplicados para inferir os indicadores informacionais no processo de aprendizagem organizacional das atividades remotas dos docentes nas Instituições pesquisadas, são capazes de promover um ciclo de aprendizagem contínua entre os passos que integram o modelo. Portanto, os indicadores informacionais foram contemplados no ciclo contínuo de aprendizagem organizacional das atividades do ensino remoto.

Palavras-chave: aprendizagem organizacional; instituições de ensino superior; indicadores informacionais.

Comunicação 2: ADOÇÃO DO BIM E GESTÃO DA INFORMAÇÃO: UMA PROPOSTA PARA O PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE EMPREENDIMENTOS DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS BRASILEIRAS

Autoria(s): Laerte Adler Ribeiro de Lima – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Andréa Vasconcelos Carvalho – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Reymard Sávio Sampaio de Melo – Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Resumo: A adoção do BIM é um processo desafiador para as organizações. Todavia, percebe-se na relação teórica do BIM com a Gestão da Informação uma oportunidade para facilitar a criação de um ambiente favorável à adoção do BIM em organizações. Considerando isso, como também a obrigatoriedade de adoção do BIM pelos órgãos federais brasileiros, esta pesquisa parte das relações teóricas entre BIM e Gestão da Informação com foco no planejamento da adoção em organizações e associa isso ao processo de desenvolvimento de empreendimentos das universidades federais brasileiras. Nesse sentido, tem-se como problema de pesquisa: como planejar a adoção do BIM integrado à Gestão da Informação para o processo de desenvolvimento de empreendimentos em universidades federais brasileiras? Como objetivo, este estudo visa propor um método de planejamento da adoção do BIM integrado à Gestão da Informação para o processo de desenvolvimento de empreendimentos em universidades federais brasileiras. A pesquisa teve abordagem qualitativa, exploratória quanto aos objetivos e seguiu a Design Science Research como método de condução. O objetivo foi alcançado após um processo iterativo entre as atividades de revisão de literatura, pesquisa documental, aplicação e avaliação do artefato. Propõe-se aqui, como artefato, um método que define uma sequência de atividades para planejar a adoção do BIM integrado à Gestão da Informação com base no processo de desenvolvimento de obras das universidades federais brasileiras. O estudo mostrou que a integração entre BIM e Gestão da Informação facilita a adoção e estabeleceu um processo para criar um ambiente propício à sua operacionalização.

Palavras-chave: Gestão da Informação. Building Information Modeling (BIM). Adoção do BIM. BIM para órgãos públicos.

Comunicação 3: MAPEAMENTO ARQUIVÍSTICO: UMA PROPOSTA TERMINOLÓGICA PARA DIAGNÓSTICO DE ARQUIVO

Autoria(s): Maria Fabiana Izídio de Almeida (Universidade Estadual Paulista ¨Júlio Mesquita Filho”); Marcia Cristina de Carvalho Pazin Vitoriano (Universidade Estadual Paulista ¨Júlio Mesquita Filho”).

Resumo: A prática empírica pode refletir em uma ciência de modo desfavorável, pois baseia-se unicamente em vivências e faltando-lhe conhecimento científico. Essa prática empírica reflete na comunicação entre os profissionais, pois deixa de utilizar a terminologia específica e adequada. Outra vertente que também interfere na comunicação dos profissionais de determinada área é a carência de terminologia e a sua inexistência de padronização, uma vez que obstruem o desenvolvimento da ciência, assim como dificulta as pesquisas cientificas em torno de determinado assunto. No que concerne a definição de diagnóstico de arquivo, considera-se a definição apresentada nos dicionários que versam sobre a terminologia arquivística um tanto quanto simplista e abrangente. Outro ponto é a pluralidade de termos designados para o fenômeno diagnóstico de arquivo. Diante disso, coloca-se como questão problema desta pesquisa: quais os benefícios da padronização e ampliação da definição de diagnóstico de arquivo à Arquivologia? Propor um termo para padronizar e ampliar a definição de diagnóstico de arquivo é o objetivo geral desta pesquisa. Para atender o problema proposto e alcançar o objetivo geral apresentado, esta pesquisa caracteriza-se como qualitativa, do tipo descritiva, sendo a base principal o levantamento bibliográfico e documental. Como principal resultado identificou-se as variáveis que refletem na composição do arquivo, apresentou-se o termo Mapeamento arquivístico como proposta terminológica para diagnóstico de arquivo, bem como uma definição que segue explanada no texto.

Palavras-chave: Arquivologia. Terminologia Arquivística. Diagnóstico de arquivo. Prática arquivística. Mapeamento arquivístico.

Comunicação 4: INTERMEDIAÇÃO INFORMACIONAL ENTRE AS DIMENSÕES DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (GT- Especial)

Autoria(s): Genilson Geraldo; Marli Dias de Souza Pinto.

Resumo: A temática da sustentabilidade tem que ser acolhida pela comunidade científica, antes de mais, como princípio humanístico, que determina promover, a longo prazo, o desenvolvimento propício ao bem-estar pluridimensional (social, econômico, ambiental). Nesta perspectiva, o presente estudo discute a necessidade da intermediação informacional, no fortalecimento da cultura do Desenvolvimento Sustentável. Com isso, explora estudos científicos nacionais e internacionais que abordam a temática, com finalidade de validar a relevância do uso e o acesso da informação sobre o assunto. Quanto aos objetivos caracteriza-se como exploratório, também é um estudo bibliográfico, elaborado a partir da revisão sistemática da literatura (RSL), na qual recuperou-se 28 artigos científicos, que abordam o uso e o acesso à informaç&at ilde;o para alcance do Desenvolvimento Sustentável. Deste modo, conclui-se que o acesso à informação é fundamental para o alcance de Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável, bem como sensibilizar, conscientizar e mobilizar a sociedade, por meio do acesso à informação. Ainda, aponta-se a relevância da Ciência da Informação na inserção da sustentabilidade informacional como elemento de intermediação informacional entre as dimensões do Desenvolvimento Sustentável.

Palavras-chave: Sustentabilidade informacional. Acesso à informação. Ciência da Informação. Desenvolvimento Sustentável.

Dia 27.10.2021 – Quinta-feira – Manhã – 9-12h

Sessão: 6 – A gestão da informação e do conhecimento como elementos inovadores

Coordenadora da sessão: Dra. Elaine da Silva; Universidade Estadual de Londrina/UEL

Comunicações

Comunicação 1: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EM ARQUIVOS BRASILEIROS

Autoria(s): Aysha Adab Santos Cavalcante – Universidade do Porto; Emeide Nóbrega Duarte – Universidade Federal da Paraíba; Rayan Aramís de Brito Feitoza – Universidade Federal da Paraíba; Lucilene Klenia Rodrigues Bandeira – Universidade Federal da Paraíba.

Resumo: O planejamento estratégico é uma ferramenta de gestão que proporciona preparação a longo prazo, sendo relevante sua adoção em unidades de informação. Diante disso, esse trabalho investiga o planejamento estratégico dos arquivos relacionados no Cadastro Nacional de Entidades Custodiadoras de Acervos Arquivísticos do Conselho Nacional de Arquivos do Brasil. Realiza uma pesquisa exploratória-descritiva, com aplicação de um questionário Web Survey aos responsáveis das unidades arquivísticas que compõem o universo da investigação. Os resultados indicam a utilização da ferramenta com percepção de benefícios em processos e serviços, a necessidade de formalização documental e a participação dos colaboradores nas estratégias estipuladas.

Palavras-chave: Planejamento estratégico. Unidades de informação. Arquivos. Arquivologia.

Comunicação 2: DIAGNÓSTICO DE PRESERVAÇÃO DIGITAL: ESTUDO DE CASO DA BVS HANSENÍASE

Autoria(s): Andrea Cristina Bogado – Universidade Estadual Paulista (Unesp); José Carlos Abbud Grácio – Universidade Estadual Paulista (Unesp); Telma Campanha de Carvalho Madio – Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Resumo: Com o surgimento das Tecnologias de Informação e Comunicação o acervo das bibliotecas expandiu, passando do documento analógico para o digital. A mudança do suporte trouxe para a área novas formas de se processar, proteger e preservar, mas não afetou seu objetivo principal, o acesso e recuperação da informação pelo usuário. O objetivo desse trabalho é analisar o estado atual da preservação dos documentos digitais provenientes da digitalização do acervo raro e especial de uma biblioteca especializada em dermatologia, e que deram origem a Coleção Memória Científica em Hanseníase, compondo o acervo digital da Biblioteca Virtual em Saúde Hanseníase.

Palavras-chave: Preservação digital; Digitalização; Acervo digital; Biblioteca virtual; Hanseníase.

Comunicação 3: MODELO MULTIMENSIONAL PARA GESTÃO DE EBOOKS EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS: TENDÊNCIAS E PARÂMETROS

Autoria(s): Carolina de Souza Santana Magalhães – Universidade Federal da Bahia(UFBA); Isa Maria Freire – Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Resumo: Considera-se de partida um cenário de crescimento das coleções de eBooks em bibliotecas universitárias, a convergência deste artefato para o ambiente virtual e a limitação por parte do mercado editorial no sentido de ofertar modelos de negócio para comercialização de Ebook, que contemplem condições inerentes as necessidades destes espaços socioculturais e científicos. Assim, esse trabalho objetiva apresentar parâmetros para um modelo de gestão de livros digitais nessas bibliotecas, que inclua sua livre aquisição e propor um protótipo de modelo que auxilie a tomada de decisão nas bibliotecas universitárias. Para tanto, a estratégia metodológica baseou-se na triangulação de métodos adotando a abordagem qualitativa. Os resultados demonstraram que o modelo de negócio de compra perpétua é o mais sustentável, em termos de garantia do serviço de acesso às coleções, em relação ao modelo de negócio por assinatura. Indicaram também que as bibliotecas universitárias não possuem seus próprios modelos de negócio ou gestão de eBooks, acarretando a adesão ao modelo de negócio dos editores ou agregadores e implicando na aceitação das parametrizações (licenciamento, precificação) definidas entre os agentes da cadeia de valor: produtor (autor) – editor – agregador. Por fim, indicam que os atuais modelos de negócio de eBook ofertados ainda carecem de uma revisão sistêmica. Recomenda-se a atuação em redes de cooperação e/ou consórcios que possam garantir um melhor posicionamento das bibliotecas universitárias na cadeia de valor do livro e propõe-se, como produto final um modelo multidimensional com parâmetros para a gestão de livros digitais em bibliotecas universitárias.

Palavras-chave: Livro digital. eBook. Bibliotecas universitárias. Cadeia produtiva do livro digital. Modelo de negócio.

Comunicação 4: MAPEAMENTO DA REDE DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO (REDE GIC) NAS UNIVERSIDADES DO BRASIL: CARACTERIZAÇÃO DOS PROGRAMAS EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

Autoria(s): Hemanuela Fernandes Melo – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Monica Marques Carvalho Gallotti -Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Andréa Vasconcelos Carvalho – Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Resumo: Objetiva caracterizar a Rede de Gestão da Informação e do Conhecimento (Rede GIC), como uma rede de conhecimento. Caracteriza-se como um estudo exploratório e descritivo, bibliográfico e documental, de natureza quantitativa e qualitativa. Os resultados apresentam a Rede GIC formada por 15 universidades distribuídas nas cinco regiões do Brasil, bem como mostra as características dos Programas de Pós-Graduação ligados a estas Universidades. Considera-se que os eventos realizados mediante a articulação de esforços interinstitucionais permitem caracterizar a Rede GIC enquanto rede de conhecimento científico nacional. Como forma de aprofundar o assunto, sugere-se pesquisas voltadas a análise conceitual e análise de discurso, como também análise de redes sociais para identificar laços fortes e fracos.

Palavras-chave: Gestão da Informação e do Conhecimento. Rede GIC. Rede de Conhecimento.

Comunicação 5: GESTÃO DA INFORMAÇÃO PARA GERENCIAMENTO DE SITUAÇÕES DE CRISE EM MUSEUS: AÇÕES IMEDIATAS EM TEMPOS DE COVID-19

Autoria(s): José Domingos Padilha Neto – Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Luciana Ferreira da Costa – Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Cilene Maria Freitas de Almeida – Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Thiago Daniel da Silva – Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Resumo: O presente trabalho tem como objetivo analisar o papel da gestão da informação no âmbito das instituições museológicas, refletindo sobre sua importância sobretudo neste momento de enfrentamento da pandemia de COVID-19. Discorre acerca da gestão como desafio para as instituições museológicas, destacando o diagnóstico e o planejamento museológicos como instrumentos para a qualificação dos museus. Aborda, especificamente, a Gestão da Informação como aliada dos museus para momentos de gerenciamento de crise, a exemplo da pandemia, auxiliando-os no seu planejamento, na tomada de decisão, na geração de produtos ou serviços de informação alternativos como Lives, exposições e visitas virtuais e podcasts. Conclui que a Gestão da Informação, por meio da aplicação das etapas que a compõe, contribui com os museus no que tange ao uso estratégico da informação para o desenvolvimento e atualização do plano museológico.

Palavras-chave: Gestão. Gestão museológica. Gestão da informação. Pandemia de COVID-19.

Comunicação 6: FORMAÇÃO DE META-REDES DE CONHECIMENTO E COLABORAÇÃO POR PESQUISADORES COM PRODUTIVIDADE EM PESQUISA

Autoria(s): Danielly Oliveira Inomata – Universidade Federal do Amazonas; Mateus Rebouças Nascimento – Universidade Federal de Santa Catarina.

Resumo: Este estudo tem como objetivo analisar a formação de meta-redes de conhecimentos e colaboração de pesquisadores na área de Ciência da Informação, mapeando as dimensões da produção de conhecimento dos atores norteadores deste campo. A metodologia adotada consiste na identificação dos pesquisadores de produtividade nível 1 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), por meio da busca no banco de dados da instituição, totalizando 17 atores de conhecimento, nos quais foram extraídos na Plataforma Lattes os artigos publicados no período de 2015 a 2020, além do levantamento dos grupos de pesquisa nos quais os pesquisadores estão vinculados no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq, para construir a relação das temáticas investigadas com as linhas de pesquisa atuantes. Identificou-se quatro meta-redes de colaboração, os principais conhecimentos compartilhados são sobre organização e representação do conhecimento voltado a bibliotecas universitárias, produção científica aplicada em estudos métricos da informação, além de aspectos relacionados à gestão do conhecimento e da gestão e competência em informação.

Palavras-chave: Ciência da Informação. Meta-redes de conhecimento. Produtividade em pesquisa.

Comunicação 7: A BIBLIOTECA PÚBLICA E A AGENDA 2030: POLÍTICAS E ESTRATÉGIAS DE EMPODERAMENTO LOCAL

Autoria(s): Maria Cleide Rodrigues Bernardino – Universidade Federal do Cariri

Resumo: Estudo preliminar sobre as bibliotecas públicas cearenses e a Agenda 2030. A partir da atuação das bibliotecas públicas cearenses no contexto pandêmico por Covid-19, tem como objetivo geral: identificar o uso das redes sociais pelas bibliotecas públicas cearenses; e objetivo específico: identificar ações, projetos e iniciativas voltadas para as 8 dimensões de sustentabilidade de Sachs através do Instagram. Estudo exploratório de viés qualitativo realizado em 198 bibliotecas que foram categorizadas a partir das 8 dimensões de sustentabilidade. Os resultados apontam para uma tímida atuação e alta concentração na dimensão social e cultural. Entretanto, convergem também para o entendimento do potencial deste equipamento para o empoderamento local e no auxílio à implantação da Agenda 2030.

Palavras-chave: Biblioteca Pública. Agenda 2030. Empoderamento local – biblioteca pública. Redes Sociais.

Dia 27.10.2021 – Quinta-feira – Tarde – 14-17h

Sessão 7 – A gestão da informação e do conhecimento como elementos inovadores

Coordenador da sessão: Dra. Marli Dias de Souza Pinto; Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC

Comunicações

Comunicação 1: NOVOS SABERES NA ERA DIGITAL: O PAPEL DO DATA WORKER

Autoria(s): Valéria Macedo – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Larriza Thurler – – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Elaine Dias – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Marcos Cavalcanti -Université de Paris XI (Paris-Sud).

Resumo: Este artigo busca compreender as competências do data worker em processos de geração de conhecimento na era digital, em contraponto com os profissionais que atuam com informações e conhecimento – os information workers e knowledge workers. Para tal, é feita uma releitura da pirâmide do conhecimento ou hierarquia Data-Information-Knowledge-Wisdom (DIKW) a partir de uma revisão de literatura a fim de contextualizar a relevância dos dados e da informação no cenário atual. Por meio de uma metodologia exploratória e uma ferramenta para visualização dos dados (VoSviewer), é realizada uma análise das abordagens acadêmicas atuais que adotam o termo data worker e information worker em suas pesquisas. Os resultados revelam que existem poucos estudos voltados para o data worker e sua relevância na geração de conhecimento, quando comparado aos estudos sobre information workers e knowledge workers. Isso aponta para uma necessidade de mais pesquisas para entender de maneira mais aprofundada sobre a existência de um novo papel desse profissional no processo de geração de conhecimento e também se suas competências seriam também estratégicas para os information workers e knowledge workers.

Palavras-chave: Data worker. Information worker. Knowledge worker. Geração de conhecimento. Pirâmide do conhecimento

Comunicação 2: A RELAÇÃO DO MARKETING DIGITAL COM A GESTÃO DO CONHECIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES

Autoria(s): Taciana Maria Lemes de Luccas (UNESP/FATEC); Ieda Pelógia Martins Damian (USP/UNESP).

Resumo: Este estudo trata da relação dos temas marketing digital e gestão do conhecimento como diferencial para as organizações em tempos de mudanças e avanços da internet. Objetiva analisar a importância da gestão do conhecimento nas estratégias mercadológicas na era digital. Metodologicamente, a pesquisa caracteriza-se como exploratória (em relação aos objetivos propostos) e com abordagem qualitativa (quanto a formulação do problema e do material obtido). No que se refere ao tipo de pesquisa, definiu-se por uma pesquisa bibliográfica. O estudo apresenta base conceitual dos temas gestão do conhecimento e marketing digital, destacando a relação entre os conceitos para um melhor resultado das ações no mercado no qual as organizações atuam. Neste cenário, compreende-se que a gestão do conhecimento pode contribuir com as estratégias mercadológicas de forma positiva, já que informações e conhecimento podem ser utilizados a favor do próprio negócio, para gerar e melhorar produtos e serviços de forma a estreitar relacionamentos. Por fim, é possível afirmar que a relação entre marketing digital e gestão do conhecimento auxiliam as organizações a enfrentarem os desafios encontrados com maior eficiência.

Palavras-chave: Marketing Digital. Gestão do Conhecimento. Organizações.

Comunicação 3: ECOINOVAÇÕES NO CONTEXTO DA CULTURA ORGANIZACIONAL: ESTUDO DAS PRÁTICAS INFORMACIONAIS NO ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE MADEIRA E MÓVEIS DE ARIQUEMES-RO

Autoria(s): Hugo Athanasios Fotopoulos – Universidade Federal de Rondônia (UNIR); Asa Fujino – Universidade de São Paulo (USP).

Resumo: O artigo apresenta os resultados de uma pesquisa sobre a prática informacional, os mecanismos de aprendizagem coletiva, os modelos de governança (formal e informal) e o regime de informação presente no Arranjo Produtivo Local de Madeira e Móveis de Ariquemes-RO vinculada à compreensão da cultura organizacional, visando diagnosticar problemas e desafios para adoção do conceito de Ecoinovação, pelas empresas integrantes do arranjo, essencial para alavancar a competitividade do setor. A pesquisa se caracterizou como aplicada, exploratória, de natureza qualitativa, fundamentada em referencial teórico e estudo de caso. Os resultados demonstraram que as questões culturais e organizacionais dos madeireiros que integram o referido arranjo influenciam o comportamento informacional e dificultam o intercâmbio e o compartilhamento de conhecimentos sobre o conceito de Ecoinovações, entre os empresários e outros atores sociais (universidades, centros de pesquisa, poder público e terceiro setor) e sustentam a proposta de um ambiente de compartilhamento de informações, conhecimento e aprendizagem coletiva.

Palavras-chave: Ecoinovações. Arranjo Produtivo Local. Cultura Organizacional. Prática informacional. Compartilhamento de informação e conhecimento.

Comunicação 4: GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO: UMA ANÁLISE SOCIOMÉTRICA

Autoria(s):Bruno de Souza Toledo – Universidade FUMEC; Marcos Vinícius de Souza Toledo – Universidade FUMEC; Thaís Campos Maria – Universidade FUMEC; Armando Sérgio de Aguiar Filho – Universidade FUMEC; Luiz Claudio Gomes Maia – Universidade FUMEC.

Resumo: Pesquisas sobre gestão da informação e do conhecimento vêm sendo apresentadas como fatores ao diferencial competitivo da organização, sendo necessário ampliar os estudos desses dois termos. Por isto, este artigo teve como objetivo identificar as redes de cooperação entre revistas e autores, de 565 produções científicas publicadas na área de Ciência da Informação entre os anos de 2014 até junho de 2019 em periódicos nacionais com Estrato Qualis-Periódicos A1, A2 e B1, os quais apresentaram no título e termos indexados, os temas: gestão da informação, gestão do conhecimento e gestão da informação e do conhecimento. A metodologia foi de natureza básica, com tipologia exploratória e descritiva, o estudo adotou como método a pesquisa bibliográfica e as análises sociométricas. A partir da abordagem quantitativa, foram selecionadas e analisadas as produções científicas na área da Ciência da Informação. Para as análises dos resultados utilizaram-se o software UCINET e a técnica de análise de redes sociais. Assim, foi possível compreender e discutir o nível de relacionamento entre revistas e autores da área, que demonstrou o nível de interação entre autores e identificou os pesquisadores que expressaram maior representatividade na rede. Como conclusões da pesquisa, observaram-se ainda, uma simetria entre as revistas, autores mais produtivos e instituições mais participativas em termos de produções científicas.

Palavras-chave: Gestão do Conhecimento. Gestão da Informação. Estudo Sociométrico. Redes de Relacionamento.

Comunicação 5: PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Autoria(s): Tatianne Akaichi – UNESP; Maria Leandra Bizello – UNESP

Resumo: Sob o enfoque arquivístico, pode-se dizer que os objetos de avaliação são o documento de arquivo, em qualquer que seja o seu suporte ou o seu formato, e a importância que o seu conteúdo pode conter ou refletir. Isso posto, destaca-se que este artigo é parte integrante da tese de doutorado intitulada “O processo de avaliação de documentos: um estudo em arquivos das Instituições Federais de Ensino Superior”, que objetivou analisar o processo de avaliação nos arquivos das instituições universitárias. O artigo apresenta o resultado de uma revisão bibliográfica acerca dos principais parâmetros de seleção de registros e do agente responsável pelo processo avaliativo segundo as concepções de alguns autores da área de Arquivologia. Entre os resultados, verificou-se que não existe uma metodologia única de avaliação de documentos, e, no que tange ao avaliador, identificou-se que o ator central no processo de avaliação é o arquivista. Todavia, conclui-se que, com o passar dos últimos anos, as discussões sobre o assunto vêm sendo reconsideradas.

Palavras-chave: Avaliação de Documentos. Arquivista. Arquivologia.

Comunicação 6: APROPRIAÇÃO DE INDICADORES DE DESEMPENHO NA TOMADA DE DECISÃO GERENCIAL

Autoria(s): Júlio Augusto Enders de Albuquerque – Universidade Federal de Alagoas (UFAL); Ibsen Mateus Bittencourt Santana Pinto – Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Resumo: O presente projeto de pesquisa tem os indicadores de desempenho organizacionais como objeto de estudos. Compreende-os como relevantes artefatos informacionais, passivos de coleta, organização, interpretação, armazenagem, recuperação, disseminação, transformação e uso. Sendo assim, a apropriação destes, pelos gerentes de empresas públicas e privadas, faz-se crucial para a tomada de decisão.

Palavras-chave: Gestão da Informação. Indicadores de Desempenho. Tomada de Decisão. Informação-como-coisa.

Comunicação 7: GESTÃO DO CONHECIMENTO: BASE DA MEMÓRIA ORGANIZACIONAL DO SEBRAE PARAÍBA

Autoria(s): Rayan Aramís de Brito Feitoza – Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Emeide Nóbrega Duarte – Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Resumo: Objetiva analisar os processos de gestão do conhecimento que podem contribuir para a formação e preservação da memória organizacional do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba. Metodologicamente, é um estudo bibliográfico, exploratório-descritivo, com uma abordagem qualitativa. É uma pesquisa de campo, configurando-se como um estudo de caso no arquivo da instituição. Para a coleta de dados, utiliza a técnica de observação direta intensiva, por meio de anotações no diário de campo e entrevista semiestruturada. Para análise e interpretação dos dados, adota a técnica de análise de conteúdo por meio de sistema de categorias pré-estabelecidas. Os processos de gestão do conhecimento identificados e analisados do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba são: a seleção, a organização, o armazenamento/arquivamento, e a atualização do conhecimento criado e formalizado na trajetória da instituição. Infere que as práticas realizadas contribuem com à memória da organização, mas a instituição precisa criar políticas mais consistentes para a eficiência dos processos, mantendo a memória organizacional atualizada no ambiente de trabalho dos seus colaboradores e clientes.

Palavras-chave: Gestão do Conhecimento. Memória Organizacional. SEBRAE – PB.

Comunicação 8: PORTFÓLIO BIBLIOGRÁFICO DA RELAÇÃO ENTRE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E INOVAÇÃO NA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO BRASILEIRA

Autoria(s): Jéssica Bedin – Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó); Priscila Machado Borges Sena – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT); William Barbosa Vianna – Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Resumo: Com o objetivo de identificar um portfólio bibliográfico da relação entre gestão da informação e inovação, desenvolveu-se este trabalho a partir da produção científica brasileira indexada na Base de Dados Referenciais de Artigos de Periódicos em Ciência da Informação. Utilizou-se o instrumento de intervenção ProKnow-C, constituído de quatro etapas, das quais se realizou: 1) seleção do portfólio bibliográfico; e 2) análise bibliométrica do portfólio bibliográfico. Como resultados identificou-se 17 artigos com pesquisas teóricas sobre a relação da gestão da informação com a inovação, e apenas 7 artigos com dados empíricos.

Palavras-chave: Gestão da informação. Inovação. ProKnow-C. Ciência da Informação.

Comunicação 9: A FORMAÇÃO DE MULHERES EMPREENDEDORAS PARA O PROTAGONISMO SOCIAL: ENTRELACES DA GESTÃO E A MEDIAÇÃO DA INFORMAÇÃO

Autoria(s): Dâmaris Queila Paredes Oliveira Domiciano – Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Lucilene Klenia Rodrigues Bandeira – Universidade Federal da Paraíba (UFPB); Raquel do Rosário Santos – Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Resumo: Este trabalho tem como objetivo evidenciar as práticas voltadas à formação empreendedora de mulheres, e como essas ações favorecem o alcance do protagonismo social, a partir de uma análise dos arcabouços teóricos da gestão da informação e da mediação da informação. Para tanto, foram investigadas duas Organizações Não-Governamentais gerenciadas por mulheres empreendedoras, enfatizando o alcance do protagonismo social. Quanto à metodologia, a pesquisa se caracteriza como descritiva, com abordagem qualitativa e quantitativa. Para o processo de coleta de dados, foi aplicado um questionário com as gestoras das instituições Be.Labs Aceleradora e Aliança Bayeux Franco-Brasileira. Os resultados evidenciaram que as mulheres que concluíram as atividades formativas ofertadas nas instituições supracitadas, tornaram-se empreendedoras, mudando de vida e gerando impactos econômicos locais; portanto, alcançando uma postura protagonista. As gestoras participantes atuam como gestoras da informação, considerando a relevância da comunicação e interação com os sujeitos no âmbito das instituições, a fim de alcançarem os objetivos organizacionais.

Palavras-chave: Gestão da informação. Mediação da informação. Empreendedorismo. Protagonismo – Mulheres.